20 de outubro de 2012

Contradições respondidas VI Fim


01 - Em 2 Timóteo 3:16 está dito: "Toda Escritura é inspirada por Deus..."
...no entanto, o apóstolo Paulo, que escreveu essas palavras, disse que também escreveu idéias pessoais, sem inspiração Divina (1 Coríntios 7:6, 12, 25, 40; 2 Coríntios 8:10; 11:17)

A evidência indica, contudo, que os homens usados por Deus para registrar as Escrituras não eram meros autômatos, que simplesmente registrassem a matéria que lhes fosse ditada. Lemos, a respeito do apóstolo João, que a Revelação (Apocalipse) ‘por Deus soprada’ foi-lhe apresentada, mediante o anjo de Deus, “em sinais”, e que João então “deu testemunho da palavra dada por Deus e do testemunho dado por Jesus Cristo, sim, de todas as coisas que viu”. (Re 1:1, 2) Foi “por inspiração [literalmente: “no espírito”]” que João ‘veio a estar no dia do Senhor’ e lhe foi dito: “O que vês, escreve num rolo.” (Re 1:10, 11) Assim, Deus, pelo que parece, achou bom permitir que os escritores da Bíblia usassem suas faculdades mentais para escolher palavras e expressões para descrever as visões que tiveram (Hab 2:2), ao passo que sempre exercia suficiente controle e orientação sobre eles, de modo que o produto final não só fosse exato e verdadeiro, mas também se adequasse ao propósito de Jeová. (Pr 30:5, 6) Que estava envolvido o esforço pessoal por parte do escritor é demonstrado pela declaração de Eclesiastes 12:9, 10, havendo ponderação, investigação e disposição em ordem, a fim de apresentar devidamente “palavras deleitosas e a escrita de palavras corretas de verdade”.Compare isso com Lu 1:1-4.

DESDE que seus princípios estivessem de acordo com a palavra de Deus (Jeová), ele podia dar conselhos.

Exemplo:
Lembrem-se que a Bíblia não é Alcorão. Ela, para nós cristãos, é inspirada por Deus (Jeová), não ditada palavra por palavra (apesar que em alguns lugares nela foi assim). Já o Alcorão é considerado (por seus adeptos) como a palavra ditada por Deus (Allah).

É muito diferente uma coisa da outra.

02 - Ninguém é justificado pela Lei, afirma Paulo (Gálatas 2:16; 3:11)...
...mas, revendo seu ponto de vista, ele afirma, pelo contrário, que as pessoas são justificadas pela obediência à Lei (Romanos 2:13), como consta em Torá - Devarim 6:25.
Resposta nas 09 e 12.

03 - Paulo sempre se postava contrário 'a salvação e 'a justificação pelas obras (Efésios 2:8, 9; Romanos 3:20; Gálatas 3:11)...
... mas deixou escapar esta declaração: "Deus recompensa a cada um segundo as suas obras" (Romanos 2:6). Não explicou, porém, como as obras não servem para a salvação, mas servem para o recebimento da recompensa. 

Resposta nas 09 e 12.

04 - Quem fala pelo espírito santo não amaldiçoa a Jesus, escreveu Paulo (1 Coríntios 12:3)...
... mas o mesmo Paulo, dizendo que estava falando pelo espírito, diz que Jesus é maldito (Gálatas 3:13).

Ele só citou o texto das Escrituras Hebraicas.
Deuteronômio (Devarim) 21:23 seu cadáver não deve ficar toda a noite no madeiro; mas deves terminantemente enterrá-lo naquele dia, pois o pendurado é algo amaldiçoado por Deus; e não deves aviltar teu solo que Jeová, teu Deus, te dá por herança.

Usando isso para mostrar o quão grande foi o sacrifício de Jesus por nós, se tornando objeto de escárnio como foi, para nos dar a perspectiva de vida eterna.

05 - Segundo Paulo, a circuncisão é proveitosa para todas as coisas (Romanos 3:1-2) e a pregava (Gálatas 5:11)...
... mas ainda segundo Paulo, a circuncisão não serve para nada (1 Coríntios 7:19; Gálatas 6:15) e, mesmo assim, circuncidou a Timóteo, "por causa dos judeus" Atos (16:3).

Paulo circuncidou Timóteo pouco depois de se emitir este decreto, não como questão de fé, mas para evitar criar preconceito entre os judeus aos quais iam pregar. (At 16:1-3; 1Co 9:20) O apóstolo tratou do assunto em diversas cartas. (Rom 2:25-29; Gál 2:11-14; 5:2-6; 6:12-15; Col 2:11; 3:11) “Nós somos os que temos a verdadeira circuncisão [do coração], os que prestamos serviço sagrado pelo espírito de Deus”, escreveu Paulo a cristãos gentios em Filipos. (Fil 3:3) E aos em Corinto ele escreveu: “A circuncisão não significa coisa alguma e a incircuncisão não significa coisa alguma, mas sim a observância dos mandamentos de Deus.” — 1Co 7:19.

"A circuncisão não significa coisa alguma e a incircuncisão não significa coisa alguma." Aqui ele já disse tudo para responder a essa pergunta  a circuncisão ou a incircuncisão não são nada, pois nem uma nem outra é obrigada  para o cristão.

06 - Paulo disse que se procurasse agradar a homens, não agradaria a "Cristo" (Gálatas 1:10)...
...mas depois, Paulo disse que estava agradando a todos os homens, para salvá-los (1 Coríntios 10:33).

É só pensar: seria ilógico se em coisa boas não pudesse agradar os outros. O que ele tava falando era que não deveria agradar a outros em fazer o que era errado aos olhos de Deus (Jeová).

07 - Paulo disse que "todas as coisas são puras para os puros" (Tito 1:15)... 
...mas Paulo esqueceu-se de dizer que há coisas impuras, que os puros não devem tocar, e corrigiu isso. (2 Coríntios 6:17).

A Bíblia mostra que devido à carne pecaminosa, a nossa consciência pode desencaminhar-nos; ela pode ser fraca, mal orientada ou aviltada. Podemos compreender melhor o perigo do conceito “permita que sua consciência seja seu guia” por considerarmos os habitantes de Creta, do primeiro século, que eram conhecidos como “mentirosos, feras prejudiciais, glutões desempregados”. — Tito 1:10-12.
 Como no caso de todas as pessoas, os cretenses tinham uma consciência inata. Mas não tiravam proveito dela. Escrevendo a Tito em Creta, o apóstolo Paulo disse: “Todas as coisas são puras para os puros.Mas, para os aviltados e os sem fé nada é puro, porém, tanto as suas mentes como as suas consciências estão aviltadas.” (Tito 1:15; Romanos 2:14, 15) A maioria dos cretenses tinham uma consciência insensível, que não os ajudava a fazer o que era moral ou limpo. (1 Timóteo 4:2) ‘Nada era puro’ para muitos cretenses. Como assim? Tendo consciências aviltadas, eles encaravam toda situação como oportunidade para fazer o mal. Talvez dissessem: ‘Isso não aflige minha consciência.’ Mas, devia ter afligido! Contudo, alguns judeus cretenses ou prosélitos estavam em Jerusalém para o Pentecostes de 33 EC. O conhecimento espiritual deles os teria ajudado a evitar serem mentirosos, injuriosos ou glutões. E os que aceitaram Jesus foram ajudados adicionalmente pelo que este ensinou sobre ter uma consciência boa e operante. — Atos 2:5, 11; Tito 1:5; 2:2-5; 3:3-7.

É a mesma coisa que uma pessoa falar para um rico que pra ele todas as coisas são boas, daí ele diz : são boas pois eu tenho dinheiro e escolho as boas.

08 - Paulo disse que Deus não rejeitou Seu Povo, os judeus (Romanos 11:1, 2)...
...mas, aborrecido com os judeus, porque não aceitaram suas apostasias, para crerem em outro deus (Torá - Devarim 13:6-11), escreveu que sobre os judeus veio a ira definitivamente, ou seja, foram rejeitados (1 Tessalonicenses 3:16).

Nação não quer dizer pessoas. Ele tava falando dos judeus como nação e religião, não as pessoas individualmente (até poque ele era judeu).

09 - Paulo escreveu que a fé não acaba com a obrigação de obedecer os preceitos da Lei Divina (Romanos 3:31)...
... e que ele mesmo tinha prazer na Lei de Deus (Romanos 7:22), mas assegura que a Lei induz a pessoa a pecar! (Romanos 7:5-10).

A lei divina não se restringe a Torá e não era a Torá que Paulo falava aqui, mas da lei de Deus por meio de Cristo Jesus.

A lei mosaica era para Israel.
Êxo. 31:16, 17 Os filhos de Israel têm de guardar o sábado a fim de celebrar o sábado nas suas gerações. É um pacto por tempo indefinido. É um sinal entre mim e os filhos de Israel por tempo indefinido.”

Era uma sombra do que cristo faria e assim apontava para ele que era a verdadeira substância.
Heb. 10:1 “A Lei tem uma sombra das boas coisas vindouras, mas não a própria substância das coisas.”

Heb. 9:22-24 “Quase todas as coisas são purificadas com sangue, segundo a Lei, e a menos que se derrame sangue, não há perdão. Por isso era necessário que as representações típicas das coisas nos céus fossem purificadas por estes meios, mas, as próprias coisas celestiais, com sacrifícios melhores do que tais sacrifícios. Porque Cristo entrou, não num lugar santo feito por mãos, que é uma cópia da realidade, mas no próprio céu, para aparecer agora por nós perante a pessoa de Deus.”

Heb. 8:6, 13 “Mas, Jesus obteve agora um serviço público mais excelente, de modo que ele é também o mediador dum pacto correspondentemente melhor, que foi estabelecido legalmente em promessas melhores. Ao dizer ‘um novo pacto’, tornou obsoleto o anterior. Ora, aquilo que se torna obsoleto e fica velho está prestes a desaparecer.”

Heb. 12:24 “Jesus, o mediador dum novo pacto.”

2 Cor. 3:6, 12-14 “[Deus] deveras nos habilitou adequadamente para sermos ministros dum novo pacto, não dum código escrito, mas de espírito; pois o código escrito condena à morte mas o espírito vivifica. Portanto, visto que temos tal esperança, estamos usando de muita franqueza no falar, e não fazemos como Moisés fazia, pondo um véu sobre o seu rosto, para que os filhos de Israel não fitassem atentamente os olhos no fim daquilo que havia de ser eliminado. Mas as suas percepções mentais estavam obtusas. Pois até o dia atual permanece o mesmo véu sem ser levantado, por ocasião da leitura do antigo pacto, porque é eliminado por meio de Cristo.”

10 - Paulo foi portador de uma carta dos apóstolos, da qual constava que era proibido os gentios comerem comida sacrificada a ídolos (Atos 15:22-29)....
...depois, desobedecendo a essa decisão, Paulo diz que os gentios poderiam comer coisas sacrificadas aos ídolos, pois os ídolos não valem nada. Nesse caso, apenas os gentios não deveriam indagar se a comida tinha sido sacrificada a ídolo, embora toda carne em Corinto fosse sacrificada aos deuses (1 Coríntios 8:4, 7-10; 10:25-30).

Muitas pessoas, antes de se tornarem cristãos, estavam acostumadas a comer carnes oferecidas a ídolos, sentindo certa reverência pelo ídolo. (1Co 8:7) Ao assim procederem, estes anteriores pagãos tinham sido parceiros do deus-demônio representado pelo ídolo. (1Co 10:20) Bem apropriadamente, portanto, através duma carta formal escrita de Jerusalém, o corpo governante da primitiva congregação cristã, sob a orientação do espírito santo, proibiu este comer formal, religioso, de carnes oferecidas aos ídolos, salvaguardando assim os cristãos da idolatria, neste particular. — At 15:19-23, 28, 29.

11 - O espírito santo, segundo os missionários é uma pessoa Divina, que apareceu no batismo de Jesus em forma de ave, uma pomba (Mateus 1:16; João 1:32)...
... mas Paulo escreveu que a Divindade não pode ser transformada em algo semelhante a aves (Romanos 1:23).

Sobre o Espirito Santo ser um ser divino, isso não tem base bíblica.

12 - Paulo ensinava que as obras não salvam, só a fé (Efésios 2:8, 9)...
... no entanto, Tiago o contesta, dizendo que a fé sem obras não salva e está morta (Tiago 2:14-26).

Tiago corrigiu-os para que fossem tanto cumpridores como ouvintes, mostrando-lhes à base de exemplos bíblicos que o homem que tem genuína fé manifesta-a por obras condizentes com sua fé. Por exemplo, a pessoa que tem genuína fé não diria a um irmão que estivesse nu e sem ter o que comer: ‘Vá em paz, mantenha-se aquecido e bem alimentado’, sem fazer provisões para essas necessidades. (Tg 2:14-26) Nisto, Tiago não contradizia Paulo, dizendo que alguém poderia ganhar a salvação por meio de obras. Pelo contrário, ele aceita a fé como a base da salvação, mas salienta que não pode haver genuína fé que não produza boas obras. Isto se harmoniza com a descrição que Paulo fez dos frutos do espírito, em Gálatas 5:22-24, e com seus conselhos sobre revestir-se da nova personalidade, em Efésios 4:22-24 e Colossenses 3:5-10, bem como com sua admoestação no que diz respeito a fazer o bem e partilhar as coisas com os outros, em Hebreus 13:16.

13 - Paulo conhecia o Sumo Sacerdote, que lhe dera cartas de recomendação (Atos 9:1-2)...
... mais tarde, Paulo mente, ao dizer que não conhecia o Sumo Sacerdote, pois, pela sua posição social e religiosa, decerto o continuaria conhecendo, ainda que tivesse sido substituído (Atos 23:1-5).

2 Coríntios 12:7-10. Apóstolo Paulo nos fala sobre o sofrimento causado por algo que ele chamou de “um espinho na carne”. É provável que o “espinho” fosse algum tipo de enfermidade física, possivelmente um problema relacionado com a visão. (Gálatas 4:15; 6:11) Visto também que ele ficou cego depois de sua conversão, talvez tenha ficado alguma sequela.
Atos 23:1-5 Olhando atentamente para o Sinédrio, Paulo disse: “Homens, irmãos, eu me comportei perante Deus com uma consciência perfeitamente limpa, até o dia de hoje.” 2 Em vista disso, o sumo sacerdote Ananias mandou que os que estavam em pé junto dele lhe batessem na boca. 3 Paulo disse-lhe então: “Deus te baterá, parede caiada. Assentas-te tu ao mesmo tempo para me julgar segundo a Lei, e, transgredindo a Lei, mandas que me batam?” 4 Os parados ali disseram: “Injurias tu o sumo sacerdote de Deus?” 5 E Paulo disse: “Irmãos, eu não sabia que era o sumo sacerdote. Pois está escrito: ‘Não deves falar injuriosamente dum governante do teu povo.’”

14 - Paulo escreveu que os mistérios de Deus foram revelados ou esclarecidos para que os gentios pudessem ser salvos (Romanos 16:25, 26)...
...mas Pedro entendia que Paulo realmente escreveu coisas de difícil entendimento até para ele e que as pessoas poderiam ser levadas 'a confusão pelos escritos de Paulo e virem a ser condenadas (2 Pedro 3:15, 16)

Esta parte esta respondida em Resposta a Nova Cruzada (defesa de Paulo).

15 - Paulo escreveu que a morte reinou desde Adão até Moshé... (Romanos 5:14).
... depois, porém, escreveu que a morte existirá, reinando, até ser destruída como último inimigo da Humanidade, no fim dos tempos (1 Coríntios 15:26);

Agora vou usar lógica humana para interpretar o texto, vou fazer uma ilustração: digamos que os pais saiam e deixem os filhos com a avó que deixa as crianças fazerem tudo o que quiserem, os pais quando voltam podem dizer que as crianças reinaram até eles voltarem, agora as crianças vão continuar brincando mas não como antes.

na visão de Paulo, quando de sua "conversão", os homens que estavam com ele "ouviram vozes" (Atos 9:7); mas, relatando o mesmo episódio, mais tarde, Paulo se contradiz, afirmando que os homens não ouviram a voz que lhe falara (Atos 22:9).

Esta parte esta respondida  em Resposta a Nova Cruzada (defesa de Paulo).

16 - A Torá nos assegura que morreram vinte e quatro mil hebreus desobedientes no pecado de prostituição (Números 25:9)...
...mas, Paulo, (que não estava lá) contradizendo a Torá, diz que foram vinte e três mil (1 Coríntios 10:8).

Números 25:9 declara: “Os que morreram do flagelo [da parte de Deus, por causa da conduta iníqua deles] somaram vinte e quatro mil.” No entanto, o apóstolo Paulo disse: “Nem pratiquemos a fornicação, assim como alguns deles [dos israelitas no ermo] cometeram fornicação, só para caírem, vinte e três mil deles, num só dia.” (1 Coríntios 10:8) O número dos mortos talvez fosse entre 23.000 e 24.000, de modo que qualquer destas cifras seria satisfatória. No entanto, o livro de Números indica especialmente que “todos os cabeças do povo” envolvidos neste pecado foram mortos por juízes. (Números 25:4, 5) Pode ter havido 1.000 destes “cabeças” culpados, perfazendo o total de 24.000, quando acrescentados aos 23.000 mencionados por Paulo. Ao passo que aparentemente 23.000 foram vítimas diretas do flagelo da parte de Deus, todos os 24.000 sofreram o flagelo de Jeová porque cada um deles morreu sob o Seu decreto de julgamento adverso.Deuteronômio 4:3.

17 - Embora Judas, que era um dos "Doze" (Lucas 22:47), já tivesse morrido antes da morte de Jesus (Mateus 27:3-5)...
...Paulo diz que Jesus, ao ressuscitar, apareceu a ele e demais apóstolos, os "Doze" (1 Coríntios 15:5)

Matias foi escolhido, e, depois disso, “foi contado com os onze apóstolos”. (At 1:23-26) Ele acha-se assim incluído entre “os doze” que resolveram o problema a respeito dos discípulos de língua grega (At 6:1, 2), e, evidentemente, Paulo o inclui ao referir-se “aos doze”, ao falar das aparições pós-ressurreição de Jesus, em 1 Coríntios 15:4-8. Assim, quando chegou Pentecostes, havia 12 alicerces apostólicos em que se podia apoiar o Israel espiritual então formado.

18 - Segundo Paulo, "comida não nos recomenda a Deus", porque...
"nenhuma coisa é de si mesma impura" (1 Coríntios 8:8; Romanos 14;14). No entanto, esse não é o conceito do Criador que fixou limites na alimentação humana e animal (Gênesis 1:29, 30). Na Torá a alimentação é fator decisivo para nossa santificação (Levítico 11:1-47; 20:22-26). Portanto, ao desafiar a vontade Divina, Paulo ensina seus seguidores a transgredir a Lei de D-us.

1) Levítico 11:1-47; 20:22-26 Aqui é bem claro que é para os filhos de Israel, E não gentios como toda a lei mosaica.

Gênesis 1:29-30 Isso sim era para toda a humanidade, mas quando Adão e Eva pecaram  não estavam mais perfeitos e aqui não comiam carne se usasse este texto para provar alguma coisa teria que ser o vegetarianismo RSRS!.

Estes textos irão clarear o  assunto.

Atos 10:9-16 No dia seguinte, enquanto prosseguiam na jornada e se aproximavam da cidade, Pedro subiu ao alto da casa para orar, perto da sexta hora. 10 Mas, ele ficou com muita fome e queria comer. Enquanto faziam os preparativos, caiu em transe, 11 e observou o céu aberto e alguma sorte de vaso descendo, semelhante a um grande lençol de linho, sendo baixado pelas suas quatro extremidades para a terra; 12 e nele havia toda sorte de quadrúpedes e bichos rastejantes da terra, e aves do céu. 13 E veio a ele uma voz: “Levanta-te, Pedro, abate e come!” 14 Mas Pedro disse: “Absolutamente não, Senhor, porque nunca comi nada aviltado e impuro.” 15 E a voz [falou] novamente com ele, pela segunda vez: “Pára de chamar de aviltadas as coisas que Deus purificou.” 16 Isto ocorreu pela terceira vez, e, imediatamente, o vaso foi recolhido ao céu.

Aqui o assunto se mostra ser os humanos, mas foi usado a questão do alimento. E isso já mostra o que Jeová pensa do assunto.

Mateus 15:11 Não o que entra pela boca é o que avilta o homem; mas o que sai da boca é o que avilta o homem.” (Palavra de Jesus)

Atos 15:20, 28, 29 “Que se abstenham das coisas poluídas por ídolos, e da fornicação, e do estrangulado, e do sangue. Pois pareceu bem ao espírito santo e a nós mesmos não vos acrescentar nenhum fardo adicional, exceto as seguintes coisas necessárias: de vos absterdes de coisas sacrificadas a ídolos, e de sangue, e de coisas estranguladas, e de fornicação. Se vos guardardes cuidadosamente destas coisas, prosperareis.”  (Palavra dos apóstolos)

19 - Embora Jesus tenha ensinado que o Satan é o 'pai da mentira' (João 8:44)...
... e mesmo tendo Paulo aconselhado o crente a "deixar a mentira e falar a verdade" (Efésios 4:25) Paulo excedeu-se, nesse contexto, ao afirmar que se alegrava que "Jesus" estava sendo pregado, mesmo que, para isso, fossem usadas, indiscriminadamente, tanto a mentira quanto a verdade! (Filipenses 1:18).

Paulo não estava falando da mentira em si , mas da consequência contraria ao propósito dos que a impetravam  pois esta mentiras dariam bons frutos pois suscitavam a curiosidade dos sinceros na verdade.
Exemplo: podemos usar como exemplo essas falsas contradições. No que pode ser útil para a verdade? Bem, 1) Como disse o Apostolo Paulo a verdade é proclamada mesmo com mentiras; 2) Suscita a curiosidades dos sinceros e ai eles pesquisam acham o blog ou pesquisam em outras fontes e acham a verdade; 3) Dá a oportunidade da verdade ser defendida e; 4) Dá mais confiança aos sinceros quando veem a própria verdade se defendendo.

20 - Uma das mais contraditórias miscelâneas teológicas de Paulo diz...
... respeito a quem se destinam as promessas Divinas feitas a Abrahão. Paulo afirma que "as promessas foram feitas a Abrahão e ao seu descendente. Não diz: E aos descendentes, como se falando de muitos, porém de um só: E ao teu descendente, que é Jesus" (Gálatas 3:16). Assim, nem Isaque recebeu a promessa. Depois Paulo se contradiz e declara que os gentios gálatas são "descendentes" de Abrahão e, assim, herdeiros da promessa, porque, como Isaque, seriam filhos da promessa! (Gálatas 3:29). Posteriormente, disse que ele mesmo era da descendência de Abraão, juntamente com os demais hebreus! (2 Coríntios 11:22). A Torá, ao contrário, não fala de um descendente apenas, mas da descendência de Avraham, por todas as suas gerações, como incluídos na Aliança! (Gênesis 17:7-11; 26:3, 4; 28:13, 14). Na verdade, não é um descendente, porque a descendência de Avraham seria como as estrelas do céu e os grãos de areia! (Gênesis 13:15-17; 15:5; 22:17).

Alguns peritos têm objetado à declaração de Paulo a respeito do uso singular e plural de ‘semente’. Salientam que, no hebraico, a palavra para “semente” (zé·ra‛), quando usada para descendência, nunca muda de forma. Também, os verbos e adjetivos acompanhantes por si só não indicam a singularidade ou pluralidade intencionada com a palavra “semente”. Embora seja assim, há outro fator que demonstra que a explicação de Paulo era tanto gramatical como doutrinalmente exata. Explicando este fator, a Cyclopædia (Ciclopédia) de M’Clintock e Strong (1894, Vol. IX, p. 506) declara: “Em relação com os pronomes, a construção é inteiramente diferente de ambos os precedentes [isto é, os verbos e os adjetivos empregados junto com a palavra “semente”]. Um pronome singular [empregado junto com zé·ra‛] assinala um indivíduo, apenas um único, ou um dentre muitos; ao passo que o pronome plural representa todos os descendentes. Esta regra é seguida invariavelmente pela Sept[uaginta] . . . Pedro entendia esta construção, pois verificamos que ele infere uma semente singular de Gên. xxii, 17, 18, ao falar aos judeus naturais na cidade de Jerusalém, antes da conversão de Paulo (Atos iii, 26), assim como Davi dera o exemplo mil anos antes (Sal. lxxii, 17).”
Adicionalmente, esta obra de referência diz: “A distinção feita por Paulo não é entre uma semente e outra, mas entre esta uma semente e as muitas; e, se considerarmos que cita a mesma passagem que Pedro [já citada], seu argumento é razoavelmente apoiado pelo pronome ‘os inimigos dele [e não deles]’. Semente, com o pronome no singular, é o equivalente exato de filho.”
Para citar uma ilustração, a expressão “minha prole” poderia referir-se a um só filho ou a muitos. Mas, se depois desta expressão se usasse o pronome demonstrativo no singular para se referir à prole, seria evidente que se estaria falando de uma só pessoa.
A promessa feita a Abraão, de que todas as famílias da terra haviam de abençoar a si mesmas por meio da sua ‘semente’ não poderia ter incluído todos os descendentes de Abraão como sua ‘semente’, visto que os descendentes de seu filho Ismael e também dos seus filhos com Quetura não foram usados para abençoar a humanidade. A semente da bênção viria por meio de Isaque. “O que será chamado teu descendente [semente] será por intermédio de Isaque”, disse Jeová. (Gên 21:12; He 11:18) Esta promessa foi subsequentemente especificada ainda mais, quando Jacó, dentre os dois filhos de Isaque, Jacó e Esaú, foi especialmente abençoado. (Gên 25:23, 31-34; 27:18-29, 37; 28:14) Além disso, Jacó limitou esta questão por mostrar que o ajuntamento de pessoas seria a Siló (que significa: “Aquele de Quem É; Aquele a Quem Pertence”), da tribo de Judá. (Gên 49:10) Daí, dentre todo o Judá, a vindoura semente foi limitada à linhagem de Davi. (2Sa 7:12-16) No primeiro século EC, esta especificação foi notada pelos judeus, que realmente aguardavam a vinda de uma só pessoa qual Messias ou Cristo, como libertador (Jo 1:25; 7:41, 42), embora pensassem também que eles, como descendência, ou semente, de Abraão, fossem o povo favorecido, e, como tal, filhos de Deus. — Jo 8:39-41.

21 - A prematura ressurreição de Jesus, conforme Paulo, ocorreu no...
...terceiro dia de sua morte, "segundo as Escrituras" (1 Coríntios 15:4). Paulo usou essa mesma expressão grega "Kata tas graphas" para justificar suas crenças. Porém Paulo não informou o Livro, o capítulo e o versículo onde as escrituras Judaicas predisseram a ocorrência do evento, ao terceiro dia, uma vez que a ressurreição de Jesus colide com o tempo fixado por Deus, para a ressurreição dos justos, pois, segundo as Escrituras, esse acontecimento terá lugar "no fim dos dias", quando do ajuste da contas (Daniel 12:1, 2, 13; Isaías 26:19-21). Era assim que os primeiros discípulos de Jesus acreditavam (João 11:23, 24). Paulo, como fizeram os que "viram" o Nazareno, depois da ressurreição, mesmo sem conhecer que era ele (João 20:14, 15; 21:4, 12; Lucas 24:15, 16), inventaram a ressurreição de Jesus, embora deixando o levantamento dos demais mortos para o fim dos tempos (1Coríntios 15:22-26), contradizendo o Tanak e as promessas messiânicas.

O texto que Paulo citou em 1 Coríntios 15:4 foi Oséias 6:2 Fará que vivamos depois de dois dias. No terceiro dia fará que nos levantemos, e viveremos perante ele.

Jonas 1:17 Ora, Jeová providenciou um grande peixe para engolir Jonas, de modo que Jonas veio a ficar nas entranhas do peixe três dias e três noites.
(Modelo profético apontando para Jesus)

Marcos 9:31 Pois estava ensinando os seus discípulos e dizia-lhes: “O Filho do homem há de ser entregue às mãos dos homens, e matá-lo-ão; mas, embora seja morto, será levantado três dias depois.”

22 - Jesus disse que o Pai do Céu preocupa-se com as aves e as alimenta (Mateus 6:26)...
...ensino que concorda com as Escrituras Judaicas (Jó 38:41; Salmo 147:9). No entanto, Paulo escreveu diferente e deturpou o mandamento Divino (Torá - Devarim 25:4), ao declarar que o Criador não Se importa nem com os touros (1 Coríntios 9:9, 10). O caráter do D-us de Israel, no tocante a mostrar-se misericórdia e respeito para com outros seres vivos – animais e vegetais – é muito diferente do pensamento de Paulo (Torá - Devarim o 20:19, 20; 22:6, 7; Levítico 22:28; Provérbios 6:6-11; 12:10).

Paulo não tava dizendo que Jeová não se importa com os animais, mas usou uma lei da lei mosaica para mostrar que aquele principio era feito mais para o homem do que para o animal. O artigo que se segue vai deixar mais claro.

O touro era usado pelos israelitas no trabalho relacionado com tarefas agrícolas, como arar e debulhar. (De 22:10; 25:4) Este animal devia ser tratado de forma benevolente. O apóstolo Paulo aplicou aos servos cristãos de Deus o princípio incorporado na Lei, com respeito a não açaimar o touro enquanto debulha, o que indica que quem partilha coisas espirituais com outros é digno de receber provisões materiais, assim como o touro que estivesse trabalhando tinha direito a comer do cereal que debulhasse. (Êx 23:4, 12; De 25:4; 1Co 9:7-10) A legislação abrangia casos de roubo de touro e de danos causados a pessoas e a propriedades por um touro deixado solto. — Êx 21:28–22:15.

23 - Paulo afirmou, categoricamente, que era "israelita, da tribo de Benjamin" (Romanos 11:1)...
...que era "hebreu" (2 Coríntios 11:22; Filipenses 3:5) ...e que era "judeu" (Atos 22:3).
No entanto, saiu com esta declaração: "Fiz-me judeu para os judeus, para ganhar os judeus" (1 Coríntios 9:20). Ora, ninguém, que já é judeu, 'faz-se judeu'. 

Ele não seguia a lei mosaica, mas para não fechar uma porta com os judeus, não se importava de fazer algumas coisas. Exemplo: ele pregava em sinagogas no sábado, circuncidou Timóteo para irem pregar para os judeus.

Nenhum comentário: