7 de fevereiro de 2012

Vinho nas Escrituras Sagradas (Resposta ao Blog porque deixei o critianismo)

  
Este é um farto material sobre o vinho nas Escrituras, pesquisa que fiz para rebater um minúsculo artigo de Antonio Andrade Junior.
 
                      Cristianismo não é apenas crença, mas modo de vida
Atos 9:1, 2 “Saulo . . . pediu-lhe cartas para as sinagogas em Damasco, a fim de trazer amarrados, para Jerusalém, quaisquer que achasse pertencendo ao Caminho, tanto homens como mulheres.”
Atos 19:9, 23 “Quando alguns prosseguiam em endurecer-se e em não crer, falando injuriosamente sobre O Caminho perante a multidão retirou-se deles . . . Naquele mesmo tempo surgiu uma perturbação nada pequena a respeito do Caminho.”

Atos 18:25, 26 “Este homem tinha sido oralmente instruído no caminho de Jeová, e . . . falava e ensinava com precisão as coisas a respeito de Jesus, mas estava familiarizado apenas com o batismo de João. E este homem principiou a falar denodadamente na sinagoga. Ouvindo-o Priscila e Áquila, acolheram-no na sua companhia e expuseram-lhe mais corretamente o caminho de Deus.”
2 Ped. 2:2 “Muitos seguirão os seus atos de conduta desenfreada, e, por causa destes, falar-se-á de modo ultrajante do caminho da verdade.”


Em primeiro lugar, abordarei o aspecto histórico desta bebida na cultura Judaica antes e no tempo de Jesus.

                                                   Vinho e bebida forte
Há diversos termos das línguas originais que geralmente designam alguma espécie de vinho (hebr.: ti·róhsh [Gên 27:28, 37; Os 2:8, 9, 22]; hebr.: hhé·mer [De 32:14; Is 27:2], e o correspondente termo aramaico, hhamár [Da 5:1, 2, 4, 23]; bem como gr.: gleú·kos [At 2:13]). Mas a palavra hebraica yá·yin é encontrada com mais freqüência nas Escrituras. Ocorre primeiro em Gênesis 9:20-24, onde se faz referência a Noé plantar um vinhedo, depois do Dilúvio, e então ficar embriagado com o vinho resultante. A palavra grega oí·nos (que corresponde basicamente ao termo hebraico yá·yin) ocorre pela primeira vez nos comentários de Jesus sobre não ser aconselhável usar odres velhos para vinho novo, parcialmente fermentado, uma vez que a pressão acumulada por meio da fermentação faria com que os odres velhos se rompessem. — Mt 9:17; Mr 2:22; Lu 5:37, 38.
Diversas bebidas alcoólicas fortes, pelo visto derivadas de romãs, tâmaras, figos, e outros frutos semelhantes, eram geralmente chamadas pelo termo hebraico she·khár. (Núm 28:7; De 14:26; Sal 69:12) A palavra hebraica ‛a·sís, em O Cântico de Salomão 8:2, refere-se ao “suco fresco de romãs”, mas, em outras passagens, o contexto indica o vinho. (Is 49:26; Jl 1:5) A cerveja pode ter sido designada pela palavra hebraica só·ve’. — Is 1:22; Na 1:10.


Vinificação. Na Palestina, as uvas eram colhidas durante agosto e setembro, dependendo do tipo de uva e do clima da região. A vindima já tinha praticamente terminado na ocasião em que se celebrava a “festividade das barracas”, no início do outono setentrional. (De 16:13) As uvas, depois de colhidas, eram colocadas em tanques, ou tinas, de calcário, nos quais os homens geralmente as esmagavam com pés descalços, cantando ao pisarem o lagar. (Is 16:10; Je 25:30; 48:33) Com tais métodos comparativamente brandos de esmagamento, os raminhos e as sementes não se rompiam, de modo que pouco do ácido tânico das cascas era espremido; isto, por sua vez, contribuía para um vinho de alta qualidade, com paladar suave e macio. (Cân 7:9) Às vezes, empregavam-se pedras pesadas, em vez de os pés. 

O primeiro “mosto”, ou sumo fresco, que flui das cascas rompidas das uvas, se mantido à parte do volume maior do sumo extraído sob pressão, resulta nos vinhos mais ricos e melhores. A fermentação começa dentro de seis horas após a maceração, enquanto o sumo ainda se acha nos tanques, e lentamente se processa por um período de vários meses. O teor alcoólico dos vinhos naturais varia de 8 a 16 por cento do volume, mas pode ser aumentado pela adição posterior de álcool. Se as uvas tiverem pouco teor de açúcar, e a fermentação levar tempo demais, ou se o vinho não for devidamente protegido contra a oxidação, transforma-se em ácido acético, ou vinagre. — Ru 2:14.
No período de envelhecimento, o vinho era conservado em jarras ou odres. (Je 13:12) Estes recipientes dispunham provavelmente de respiradouro para permitir a saída do dióxido de carbono (subproduto do desdobramento dos açúcares em álcool através da fermentação), sem que o oxigênio do ar entrasse em contato com o vinho, produzindo uma reação no vinho. (Jó 32:19) À medida que se deixavam os vinhos descansar, eles gradualmente se clarificavam, as borras precipitavam-se no fundo, havendo o melhoramento do buquê e do sabor. (Lu 5:39) Depois disso, os vinhos eram geralmente transferidos para outros receptáculos. — Is 25:6; Je 48:11;

 
Usos. Desde tempos imemoriais, o vinho tem sido usado como bebida às refeições. (Gên 27:25; Ec 9:7) O vinho, o pão e outros alimentos são freqüentemente mencionados juntos. (1Sa 16:20; Cân 5:1; Is 22:13; 55:1) Melquisedeque colocou “pão e vinho” diante de Abraão. (Gên 14:18-20) Jesus bebia vinho às refeições, quando estava disponível. (Mt 11:19; Lu 7:34) O vinho era parte integrante de banquetes (Est 1:7; 5:6; 7:2, 7, 8), de festas de casamento (Jo 2:2, 3, 9, 10; 4:46) e de outras ocasiões festivas (1Cr 12:39, 40; Jó 1:13, 18). Os armazéns reais eram abastecidos de vinho (1Cr 27:27; 2Cr 11:11); era a bebida costumeira de reis e de governadores. (Ne 2:1; 5:15, 18; Da 1:5, 8, 16) Os viajantes muitas vezes o incluíam nas suas provisões para viagem. — Jos 9:4, 13; Jz 19:19.
Seu amplo uso tornava o vinho um item de intercâmbio comercial (Ne 13:15), “o vinho de Helbom” (preferido pelos reis da Pérsia) e “o vinho do Líbano” sendo especialmente famosos. (Ez 27:18; Os 14:7) O vinho era um meio de se pagar os operários que trabalhavam em fornecer madeira para a edificação do templo. (2Cr 2:8-10, 15) Era considerado excelente presente para dar aos superiores (1Sa 25:18; 2Sa 16:1, 2), e estava incluído no dízimo contribuído para sustentar os sacerdotes e os levitas. (De 18:3, 4; 2Cr 31:4, 5; Ne 10:37, 39; 13:5, 12) E o vinho se achava entre as coisas seletas oferecidas a Jeová na adoração sacrificial prestada a Ele. — Êx 29:38, 40; Le 23:13; Núm 15:5, 7, 10; 28:14; 1Sa 1:24; 10:3; Os 9:4.
De início, o vinho não fazia parte da refeição da Páscoa, mas foi acrescentado mais tarde, talvez depois da volta do exílio babilônico. Por conseguinte, estava na mesa quando Jesus celebrou a Páscoa pela última vez com seus apóstolos, e foi convenientemente utilizado por ele em instituir a Comemoração de sua morte. O vermelho “sangue das uvas” constituía uma representação apropriada do sangue sacrificial do próprio Jesus. Naquela ocasião, Jesus mencionou esse vinho como ‘este produto da videira’, e visto que talvez já se tivessem passado sete meses depois da colheita das uvas ali, não pode haver dúvida de que era o sumo fermentado da vinha. — Gên 49:11; Mt 26:18, 27-29.
Conforme indicado por Jesus, e relatado pelo médico Lucas, o vinho tinha certo valor medicinal como antisséptico e desinfetante brando. (Lu 10:34) A Bíblia também o recomenda como remédio curativo nos casos de certos distúrbios gástricos. Paulo aconselhou a Timóteo: “Não bebas mais água, mas usa de um pouco de vinho por causa do teu estômago e dos teus freqüentes casos de doença.” (1Ti 5:23) Tratava-se de uma abalizada recomendação médica. O Dr. Salvatore P. Lucia, professor de medicina da Faculdade de Medicina da Universidade da Califórnia, escreve: “O vinho é a mais antiga bebida dietética e o mais importante agente medicinal em uso contínuo na história da humanidade. . . . Em realidade, poucas substâncias disponíveis ao homem têm sido tão amplamente recomendadas pelos seus poderes curativos como os vinhos.” — Wine as Food and Medicine (Vinho Como Alimento e Remédio), 1954, p. 5;

Ao contrário das opiniões errôneas de alguns, as bebidas alcoólicas não constituem estimulantes para a mente, mas são na realidade sedativos e depressores do sistema nervoso central. “Dai bebida inebriante àquele que está para perecer e vinho aos amargurados de alma”, não como estimulante mental para tornar tais pessoas ainda mais cônscias da sua condição lastimável, mas, antes, como diz o provérbio, para que ‘esqueçam suas desgraças’. (Pr 31:6, 7) Entre os romanos havia um costume antigo de dar vinho com tóxicos aos criminosos, a fim de amainar a dor da execução. Talvez fosse por isso que os soldados romanos ofereceram a Jesus vinho drogado quando o pregaram na estaca. — Mr 15:23.
É evidente que o vinho é uma das dádivas incluídas entre as bênçãos de Jeová para a humanidade. O vinho “alegra o coração do homem mortal”, faz o coração ‘sentir-se bem’. (Sal 104:15; Est 1:10; 2Sa 13:28; Ec 2:3; 10:19; Za 10:7) Assim, quando Daniel pranteava, não bebia vinho. (Da 10:2, 3) Abundante suprimento de vinho, simbolizado pela “videira” na muito repetida expressão, de ‘cada um sentar-se debaixo de sua própria videira e de sua própria figueira’, indica prosperidade e segurança sob a administração justa de Jeová. (1Rs 4:25; 2Rs 18:31; Is 36:16; Miq 4:4; Za 3:10) O vinho também está incluído nas bênçãos de restauração prometidas por Jeová. — Jl 3:18; Am 9:13, 14; Za 9:17.
Uso Moderado. A moderação em todas as coisas é um princípio bíblico. Nem mesmo o mel é exceção — com moderação é bom; comer demais é prejudicial. (Pr 25:27) O mesmo se dá com as dádivas do vinho e da bebida forte, provenientes de Jeová; têm de ser usadas conforme Ele orienta. O abuso delas e a desconsideração para com os princípios bíblicos no uso de tais provisões resultam na desaprovação de Jeová, e levam à devassidão e à morte. A Bíblia é muito taxativa sobre isto, tanto em seus preceitos como em seus exemplos. — Pr 23:29-31; Talvez haja casos em que a ingestão de álcool, mesmo em pequenas doses, seja pouco aconselhável e seja prejudicial para a saúde. Em outras ocasiões, a pessoa talvez se refreie de ingerir uma bebida inebriante para evitar fazer outros tropeçar, e por amor e consideração para com outros. — Ro 14:21.
Jeová proibiu aos sacerdotes e aos levitas, quando estivessem em serviço no tabernáculo ou no templo, tomarem álcool, em qualquer forma, sob pena de morte. (Le 10:8, 9; Ez 44:21) Fora do serviço, estavam livres para beber com moderação. (1Cr 9:29) Da mesma forma, era um regulamento divino que o nazireu não tomasse nenhuma bebida alcoólica enquanto durasse este voto especial. (Núm 6:2-4, 13-20; Am 2:12) Visto que Sansão havia de ser nazireu de nascença, sua mãe não tinha permissão de tocar em vinho ou em bebidas alcoólicas durante a gravidez. (Jz 13:4, 5, 7, 14) Ao oficiarem, “não é para os reis beber vinho ou para os dignitários dizer: ‘Onde está a bebida inebriante?’”, a fim de que não “se esqueça o decretado, e não se perverta a causa de qualquer filho de tribulação”. (Pr 31:4, 5) Os superintendentes da congregação cristã não devem ser ‘brigões bêbedos’, e os servos ministeriais “devem igualmente ser sérios, . . . não dados a muito vinho”. — 1Ti 3:3, 8.
Representativo. A antiga Babilônia, quando atuava como executora da parte de Jeová, fez com que todas as nações ficassem ‘embriagadas de vinho’, o que era simbólico do furor de Jeová contra as nações. (Je 51:7) Também em outros textos representam-se os oponentes de Jeová como sendo obrigados a beber a justa indignação de Deus, comparada a “vinho [que] está espumando”, “vinho de furor”, “vinho da ira de Deus”. (Sal 75:8; Je 25:15; Re 14:10; 16:19) Uma poção amarga que não tem nenhuma relação com a ira divina é o “vinho da fornicação [espiritual] dela” que “Babilônia, a Grande”, faz todas as nações beber. — Re 14:8; 17:2; 18:3, 13.


Em segundo lugar abordarei o conceito bíblico sobre o vinho.

                                                       O Conceito da Bíblia
                               Condena Deus o consumo de bebidas alcoólicas?
‘ESQUEÇA o crack [de cocaína], a heroína, o ácido [LSD] e a maconha — o álcool ainda é o maior demônio com que a sociedade tem de lutar. O álcool causa mais mortes e destruição social do que o uso de todos os demais tóxicos combinados.’ Estes foram os sentimentos expressos no 31.° congresso trienal da União Feminina Cristã da Temperança do Mundo, no Canadá, dois anos atrás.


Tais congressistas vêem no crescente consumo de bebidas alcoólicas, em todo o mundo, um estonteante tributo sobre a saúde e as vidas humanas, bem como de milhões de dólares que serão gastos anualmente pelos governos nacionais no combate ao alcoolismo. Convencidas de que Deus condena seu uso, muitas pessoas bem-intencionadas argumentam a favor da proscrição de todas as bebidas inebriantes. Será, porém, que a Bíblia apóia este ponto de vista?


                                  O Consumo de Vinho Mencionado na Bíblia
Deus há muito prometeu a seu povo obediente: “Os teus depósitos de suprimentos se encherão de fartura; e teus tanques de lagar transbordarão de vinho novo.” (Provérbios 3:10) Sim, foi Ele quem nos concedeu a videira que dá frutos, até mesmo provendo diminutas leveduras que revestem a uva à medida que se aproxima a época de produção do vinho.
O processo de produção de vinho excelente foi explicado em parte por Isaías, um profeta de Deus. Prevendo as bênçãos do vindouro novo mundo de justiça, Isaías escreveu: “Jeová dos exércitos há de fazer para todos os povos . . . um banquete de vinhos guardados com a borra, . . . de vinhos guardados com a borra, filtrados.” (Isaías 25:6) Experientes vinicultores sabem que o vinho ‘guardado com a borra’, deixado em repouso por longos períodos durante a fermentação, gradualmente se clarifica, melhorando tanto o buquê como o sabor.


                                      Prazer e Benefícios Para a Saúde?
Deus delineou tanto o prazer como os benefícios para a saúde derivados do vinho. Seu profeta Jotão mencionou o ‘vinho novo que alegra a Deus e os homens’. (Juízes 9:13) O Rei Salomão escreveu sobre ‘animar sua carne até mesmo com vinho’. (Eclesiastes 2:3) E, no relato bem-conhecido da festa de casamento em Caná, Jesus, em seu primeiro milagre, transformou uma grande quantidade de água no “melhor vinho”, para deleite dos convidados à festa de casamento. — João 2:6, 7, 10, Bíblia Vozes.
O reconhecimento, por parte de Jesus, do emprego medicinal do vinho se evidencia em sua ilustração do prestimoso samaritano. Ao atar as feridas do homem machucado, o prestimoso samaritano derramou “azeite e vinho” sobre elas. (Lucas 10:30-34) A recomendação feita pelo apóstolo Paulo ao jovem Timóteo, de usar um pouco de vinho por causa do seu estômago e dos seus freqüentes casos de doença’, harmoniza-se bem com o reconhecimento moderno do valor dietético e medicinal do vinho. — 1 Timóteo 5:23.
O Dr. Salvatore P. Lucia, ex-professor da Faculdade de Medicina da Universidade da Califórnia, declarou em seu livro Wine and Your Well-Being (O Vinho e Seu Bem-Estar) que “o vinho não só [é] a mais antiga bebida alcoólica alimentar, mas também o mais importante agente medicinal em uso contínuo por toda a história do homem”. E a nutricionista-pesquisadora Janet McDonald disse que o vinho tomado em quantidades moderadas parece ser eficaz como tranqüilizante brando, como estimulador do apetite e como ajuda para a digestão e para a absorção de minerais contidos nos alimentos ingeridos.


                        Necessários a Moderação e o Domínio de Si
No entanto, apesar de tais referências favoráveis ao vinho e à bebida inebriante tanto na Bíblia como na medicina secular, o abuso do álcool tem lançado terríveis ais em grande parte da humanidade. Significa isso que Deus é responsável por todas as tragédias que seguiram o rastro do uso incorreto do álcool? Pelo contrário, Deus, em sua Palavra, a Bíblia, forneceu orientações bem abrangentes que governam o uso e o abuso do vinho.


Considere, a título de exemplo, o seguinte forte aviso contra o abuso desta dádiva: “Não venhas a ficar entre os beberrões de vinho, entre os que são comilões de carne.” Por certo, isto não quer dizer que apenas os vegetarianos abstêmios sejam agradáveis a Deus, nem o texto condena os que tomam um pouco de vinho ou comem carne moderadamente. Antes, o aviso da Bíblia é contra os excessos tanto no comer como no beber. Isto é evidente do que outro provérbio declara: “Quem tem ais? Quem tem apreensão? Quem tem contendas? Quem tem preocupação? Quem tem ferimentos sem razão alguma? Quem tem embaciamento dos olhos? Os que ficam muito tempo com o vinho.” — Provérbios 23:20, 29, 30.


Os escritores bíblicos Pedro e Paulo sugeriram a moderação, ao aconselharem os cristãos primitivos a evitar os “excessos com vinho” e a ‘não ficarem embriagados com vinho’. Esta admoestação devia ser levada a sério, como avisou o apóstolo: ‘Os beberrões não herdarão o reino de Deus.’ Em outras palavras, os que abusam habitualmente de bebidas alcoólicas não têm a aprovação de Deus e não obterão a vida eterna. — 1 Pedro 4:3; Efésios 5:18; 1 Coríntios 6:9, 10.
Assim, se os indivíduos não conseguem ter domínio de si no uso do álcool, eles devem abster-se inteiramente dele. (Compare com Mateus 5:29, 30.) Além da deterioração física, a crescente dependência do álcool pode causar graves danos espirituais. Assim sendo, Deus sabiamente nos acautela a não abusarmos das bebidas alcoólicas.


Contrário ao ponto de vista do proibicionista, a Bíblia não exige, ou nem sequer indica, a total abstinência de vinho ou de bebidas alcoólicas para todos. (Deuteronômio 14:26) O salmista diz a respeito de Jeová: “Ele faz brotar capim verde para os animais e vegetação para o serviço da humanidade, a fim de que saia alimento da terra, e vinho que alegra o coração do homem mortal.” Deveras, Deus destinou o vinho para uma finalidade boa e honrosa, quando tomado com moderação. — Salmo 104:14, 15.


Terceiro, abordarei o conceito de muitos médicos a respeito do vinho

 
  Vinho Contra Vírus
Pesquisadores canadenses do Departamento de Perigos Microbianos relatam que o vinho talvez seja capaz de matar tanto vírus como bactérias. Embora já se conheçam por anos as qualidades bactericidas do vinho, o periódico “Science News” diz que se crê que este seja “o primeiro estudo dos efeitos das uvas e do vinho sobre os vírus que afetam os homens”. Os microbiólogos observaram que, nas suas provetas, especialmente os vinhos tintos eram de certo modo “eficazes contra o vírus herpes simples, o poliovírus e o reovírus(evidente causa da meningite, da febre branda e da diarréia)”.
Estes achados dão apoio adicional às indicações bíblicas do valor medicinal do vinho e como leve desinfetante. O apóstolo Paulo recomendou a Timóteo: “Usa de um pouco de vinho por causa do teu estômago e dos teus freqüentes casos de doença.” E o samaritano da parábola de Jesus atou as feridas da antiga vítima dum assalto “derramando nelas azeite e vinho”. — 1 Tim 5:23; Luc. 10:34
Naturalmente, Paulo sugeriu “um POUCO de vinho” a Timóteo e declarou também que os servos responsáveis de Deus não devem ser dados “a MUITO vinho”. Mas, em moderação, ele pode ‘alegrar o coração do homem mortal’ com a aprovação de Deus. — 1 Tim. 3:8; Sal. 104:15.



Médicos Recomendam o Vinho
♦ Um grupo de trinta médicos recomendou o vinho em quantidades moderadas. O Dr. Robert O. Stepo da Faculdade de Medicina de Chicago declarou: “Eu recomendaria fortemente o vinho nas dietas hospitalares. . . . Para utilização normal, um produto alimentar é altamente recomendável em lugar de um produto de laboratório.” Recomenda o vinho em lugar de sedativos para acalmar pacientes. Meia dúzia de hospitais de Chicago servem vinho com as refeições. Entre seus vários benefícios, a equipe de médicos observou que o vinho ajuda o paciente cardíaco por descontrair os pequenos vasos sangüíneos e reduzir o colesterol no sangue; ajuda os pacientes na recuperação da cirurgia do trato intestinal; acrescenta ferro à dieta e estimula o apetite. Seu teor alcoólico é relativamente baixo, mas contém cerca de duzentos outros ingredientes, afirmaram os médicos.

Vinho Aumenta a Absorção
♦ Os cientistas no Laboratório de Nutrição Humana da Universidade da Califórnia, em Berkeley, EUA, realizaram recentemente um estudo do efeito do vinho sobre a absorção dos minerais. Durante 75 dias, foi servido a seis homens às refeições, vinho, ou vinho sem álcool, ou uma solução de álcool na água, ou simples água desionizada. O estudo revelou que a absorção dos minerais — cálcio, fósforo, magnésio, zinco e ferro, melhorou, quando se tomava vinho à refeição. Era o álcool o ingrediente básico que melhorava a absorção de minerais? Pelo que parece, não era, porque tanto o vinho comum como o vinho sem álcool tiveram o mesmo bom efeito, mas a solução de álcool não teve. Os pesquisadores crêem que aquilo que aumenta a absorção tem de ser um componente dentre as outras centenas de componentes dum copo de vinho.

Quarto, começo da refutação propriamente dita:
Os dizeres dele estão em preto 
Os meus em cores

Segundo a Torá:

Em outra ocasião Isaías diz: “Mas também estes cambaleiam por causa do vinho, e com a bebida forte se desencaminham; até o sacerdote e o profeta cambaleiam por causa da bebida forte, estão tontos do vinho, desencaminham-se por causa da bebida forte; erram na visão, e tropeçam no juízo” Isaías 28:7

Porém, no evangelho de João há uma passagem em que Jesus(a.s) daria mais vinho a um bando de bêbados em uma festa de casamento. (João capítulo 2)

Segundo o evangelho, Maria sua mãe, ao ver que o vinho da festa havia acabado pede a Jesus que faça algo. Jesus resiste um pouco, porém transforma 6 talhas de água em vinho, cerca de 600 litros de vinho (o que nem era muito pra uma festa que durava 7 dias)Porém o fato é que as pessoas da festa já estavam bêbadas, pois consumiram todo o vinho que teoricamente seria suficiente para 7 dias.

O mestre de cerimônia ao experimentar o vinho chama o noivo: “e lhe disse: Todos costumam pôr primeiro o bom vinho e, quando já estão bêbados, servem o inferior; tu, porém, guardaste o bom vinho até agora.” João 2:10

Normalmente os tradutores cristãos traduzem Metho-wo (μεθυσθωσιν) como “beberam fartamente” porém a palavra quer mesmo dizer bêbado, intoxicado.

1) Ali em cima ele conjectura  que o vinho que as pessoas beberam era suficiente.
2) Ele conjectura que as pessoas estavam bebadas. Vejamos se é isso que diz o relato:

 “Ora, quando o diretor da festa provou a água que tinha sido transformada em vinho, . . . [ele] chamou o noivo e disse-lhe: ‘Todo outro homem apresenta primeiro o vinho excelente, e, quando as pessoas ficam inebriadas, o inferior.’” (João 2:9, 10) Ele não disse que nessa festa específica os convidados se ‘inebriaram’.(Do grego methusko, que significa “embebedar-se, intoxicar-se”. Alguns comentaristas argumentam que a palavra pressupõe apenas beber o suficiente para entorpecer o paladar ou para produzir hilaridade. Outros textos não apóiam este conceito. — Mateus 24:49; Lucas 12:45; Atos 2:15; Efésios 5:18; 1 Tessalonicenses 5:7. ) De fato, é inconcebível que Jesus aprovasse a bebedeira e contribuísse para ela por fazer mais vinho. Mas, aquele homem sabia que beber demais era comum nas festas de casamento judaicas.


Portanto, segundo o evangelho, Jesus faz mais 600 litros de vinho para pessoas que já estavam bêbadas. Para o Islam, Jesus foi grande profeta de Deus, fez muitos milagres de cura e foi arrebatado por Deus e há de voltar. Mas a embriaguez ele não incentivou.

Aqui você se confundiu pois, pensa-se que cada medida de líquido era um “bato”, medida esta que correspondia a 22 litros ou 5,81 galões. Se este for o caso, as seis talhas de água continham de 260 a 390 litros, ou de 70 a 105 galões. —1 Reis 7:26; Esdras 7:22; Ezequiel 45:14.

                                      Porque Jesus tranformou agua em vinho
                                                                 e que
                                       Lições tiramos deste milagres de Jesus
 Certo erudito bíblico explica: “A hospitalidade, no Oriente, era um dever sagrado . . . A verdadeira hospitalidade, especialmente numa festa de casamento, exigia uma superabundância. Se os suprimentos acabassem numa festa de casamento, a família e o jovem casal nunca se redimiriam da vergonha que teriam passado.”
Portanto, Jesus agiu prontamente. Ele notou “ali seis talhas de pedra, para água, conforme exigidas pelas regras de purificação dos judeus”. A lavagem ritual antes das refeições era costumeira entre os judeus, e exigia uma boa quantidade de água para cuidar das necessidades dos convidados. “Enchei com água as talhas”, ordenou Jesus aos que serviam os convidados. Jesus não era “o diretor da festa”, mas falou de forma direta e com autoridade. Diz o relato: “Ora, quando o diretor da festa provou a água . . . [ela] tinha sido transformada em vinho.” — João 2:6-9; Marcos 7:3.
Talvez pareça estranho que algo tão comum como um casamento fosse o cenário do primeiro milagre de Jesus, mas o incidente revela muito sobre Jesus. Ele era solteiro, e em ocasiões subseqüentes considerou com os seus discípulos as vantagens do estado de solteiro. (Mateus 19:12) No entanto, sua presença numa festa de casamento revelava que ele absolutamente não era contra o casamento. Era equilibrado, apoiando o arranjo matrimonial; considerava-o como honroso aos olhos de Deus. — Note Hebreus 13:4.

 
Jesus não era o austero asceta como o retrataram depois artistas de temas religiosos. Gostava de estar com as pessoas e não era avesso a contatos sociais. (Note Lucas 5:29.) Suas ações estabeleceram assim um precedente para os seus seguidores. O próprio Jesus demonstrou que não deviam ser desnecessariamente solenes ou soturnos — como se a justiça exigisse não ser alegre. Ao contrário, ordenou-se mais tarde aos cristãos: “Alegrai-vos sempre no Senhor.” (Filipenses 4:4) Os cristãos têm hoje o cuidado de manter sua recreação dentro de limites razoáveis. Têm alegria no serviço de Deus, mas, seguindo o exemplo de Jesus, ocasionalmente reservam tempo para usufruir a companhia uns dos outros num ambiente social.

 
Note também a ternura das emoções de Jesus. Ele não tinha nenhuma obrigação de fazer um milagre. Não havia neste respeito nenhuma profecia a cumprir. Pelo visto, Jesus simplesmente se comoveu com a preocupação da sua mãe e os apuros dos noivos. Importou-se com os seus sentimentos e quis poupar-lhes o embaraço. Não lhe aumenta isso confiança em que Cristo realmente se interessa por você — mesmo pelos seus problemas cotidianos? — Note Hebreus 4:14-16.
Visto que cada talha podia “conter duas ou três medidas de líquidos”, de água, o milagre de Jesus envolvia uma grande quantidade de vinho — talvez 390 litros! (João 2:6) Por que tanto vinho?


Jesus não estava promovendo a embriaguez, que Deus condena. (Efésios 5:18) Antes, demonstrava generosidade divina. Já que o vinho era uma bebida comum, o excedente podia ser usado em outras ocasiões. — Note Mateus 14:14-20; 15:32-37.
Os primeiros cristãos imitavam o exemplo de generosidade de Jesus. (Note Atos 4:34, 35.) E atualmente, o povo de Jeová é também incentivado a ‘praticar o dar’. (Lucas 6:38) Todavia, o primeiro milagre de Jesus tem também importância profética. Aponta para o tempo futuro em que Deus fornecerá generosamente “um banquete de pratos bem azeitados, um banquete de vinhos guardados com a borra”, eliminando completamente a fome. — Isaías 25:6.

Término da refutação propriamente dita.

                            Frutos piedosos a serem cultivados pelo Cristão
                                                    Autodomínio
Gál. 5:22, 23 “Os frutos do espírito são . . . autodomínio.”
2 Ped. 1:5, 6 “Supri à vossa fé a virtude, à vossa virtude, o conhecimento, ao vosso conhecimento, o autodomínio.”
Tito 1:7, 8 “O superintendente tem de estar . . . dominando a si mesmo.”

                            Práticas erradas a serem evitadas pelos Cristãos
                                                        Bebedice
1 Cor. 5:11; 6:9, 10 “Que cesseis de ter convivência com qualquer que se chame irmão, que for . . . beberrão . . . Nem fornicadores, . . . nem beberrões . . . herdarão o reino de Deus.”
1 Ped. 4:3 “Basta o tempo decorrido para terdes feito a vontade das nações, quando procedentes em ações de conduta desenfreada, em concupiscências, em excessos com vinho, em festanças, em competições no beber.”

Menções benéficas do vinho nas Escrituras Hebraicas
(Provérbios 3:10 Então os teus depósitos de suprimentos se encherão de fartura; e teus tanques de lagar transbordarão de vinho novo. ) Isaías 25:6 E Jeová dos exércitos há de fazer para todos os povos, neste monte, um banquete de pratos bem azeitados, um banquete de [vinhos guardados com a] borra, de pratos bem azeitados, cheios de tutano, de [vinhos guardados com a] borra, filtrados.) (Salmo 104:14, 15. Ele faz brotar capim verde para os animais E vegetação para o serviço da humanidade, A fim de que saia alimento da terra,  E vinho que alegra o coração do homem mortal, Para fazer a face brilhar com óleo, E pão que revigora o próprio coração do homem mortal) (Deuteronômio 14:26 Então tens de dar o dinheiro por tudo o que a tua alma almeje em matéria de gado vacum, e de ovelhas e de cabras, e de vinho, e de bebida inebriante, e por qualquer coisa que a tua alma te peça; e tens de comer ali perante Jeová, teu Deus, e tens de alegrar-te, tu e os de tua casa. ) (1Cr 9:29 E alguns deles tomavam conta dos utensílios e de todos os utensílios sagrados, e da flor de farinha, e do vinho, e do óleo, e do olíbano, e do óleo de bálsamo.) ( Est 1:10 No sétimo dia, quando o coração do rei se sentia bem por causa do vinho, ele disse a Meumã, Bista, Harbona, Bigtá e Abagta, Zetar e Carcas, os sete oficiais da corte que ministravam à pessoa do Rei Assuero, ) (2Sa 13:28 Absalão ordenou então aos seus ajudantes, dizendo: “Vede, por favor, que assim que o coração de Amnom se estiver sentindo bem por causa do vinho e eu certamente vos disser: ‘Golpeai a Amnom!’ então tereis de entregá-lo à morte. Não tenhais medo. Não fui eu quem vos dei ordens? Sede fortes e mostrai-vos homens valentes.” ) (Ec 2:3 Perscrutei com o meu coração, animando minha carne até mesmo com vinho, ao passo que eu conduzia meu coração com sabedoria, sim, para apoderar-me da estultícia, até que eu pudesse ver o que havia de bom para os filhos da humanidade naquilo que faziam debaixo dos céus, pelo número dos dias da sua vida. 10:19 O pão é para o riso dos trabalhadores, e o próprio vinho alegra a vida; mas o dinheiro é o que encontra resposta em todas as coisas.) (Za 10:7 E os de Efraim terão de tornar-se como um homem poderoso e seu coração terá de alegrar-se como que por causa de vinho. E seus próprios filhos verão e certamente se alegrarão; seu coração jubilará em Jeová.) (De 18:3 “Ora, o seguinte deve continuar como a prerrogativa legítima dos sacerdotes da parte do povo, daqueles que sacrificam uma vítima, quer touro quer ovídeo: Deve-se dar ao sacerdote a espádua e as mandíbulas, e o bucho.  4 Deves dar-lhe as primícias dos teus cereais, do teu vinho novo e do teu azeite, e a primeira lã tosquiada do teu rebanho. ) (2Cr 31:4, 5 Ainda mais, ele disse ao povo, aos habitantes de Jerusalém, que dessem a porção pertencente aos sacerdotes e aos levitas, para que estes pudessem aderir estritamente à lei de Jeová.  E assim que se divulgou a palavra, os filhos de Israel aumentaram as primícias do cereal, do vinho novo e do azeite, e do mel, e de todos os produtos do campo, e trouxeram abundantemente o décimo de tudo.) (Êx 29:38 E isto é o que oferecerás sobre o altar: carneirinhos de um ano cada um, dois por dia, continuamente 40 E a décima parte de uma medida de efa de flor de farinha umedecida com um quarto de him de azeite batido e uma oferta de bebida de um quarto de him de vinho serão para o primeiro carneirinho.) (Le 23:13 e como sua oferta de cereais, dois décimos de um efa de flor de farinha umedecida com azeite, como oferta a Jeová feita por fogo, um cheiro repousante; e como sua oferta de bebida, um quarto de um him de vinho. ) (Núm 15:5 E deves ofertar vinho como oferta de bebida, o quarto de um him, junto com a oferta queimada ou para o sacrifício de cada cordeiro  7 E deves apresentar vinho como oferta de bebida, um terço de um him, como cheiro repousante para Jeová. 10 E deves apresentar vinho como oferta de bebida, meio him, como oferta feita por fogo, de cheiro repousante para Jeová.  28:14 E como suas ofertas de bebida deve haver meio him de vinho por novilho e um terço de him para o carneiro, e um quarto de him por cordeiro. Esta é a oferta queimada mensal no seu mês para os meses do ano. )  (Gên 27:25 Então disse: “Traze-ma perto, para que eu coma da caça de meu filho, para que a minha alma te abençoe.” Então a trouxe para perto dele, e ele começou a comer, e trouxe-lhe vinho, e ele começou a beber) (Cân 5:1 “Entrei no meu jardim, ó minha irmã, noiva [minha]. Já colhi a minha mirra junto com a minha especiaria. Comi o meu favo de mel junto com o meu mel; bebi o meu vinho junto com o meu leite.”
“Comei, companheiros! Bebei e embriagai-vos com expressões de afeto!”) (Is 22:13 Mas, eis que há exultação e alegria, a matança de gado vacum e o abate de ovelhas, o consumo de carne e o beber de vinho: ‘Comamos e bebamos, pois amanhã morreremos.’”  55:1 Eh! todos vós sedentos! Vinde à água. E vós os que não tendes dinheiro! Vinde, comprai e comei. Sim, vinde, comprai vinho e leite mesmo sem dinheiro e sem preço.)(Gên 14:18-20 Melquisedeque, rei de Salém, trouxe para fora pão e vinho; e ele era sacerdote do Deus Altíssimo. Abençoou-o então e disse:“Bendito seja Abrão do Deus Altíssimo,  Produtor do céu e da terra;  E bendito seja o Deus Altíssimo,Que entregou os teus opressores na tua mão!”  Então, Abrão deu-lhe um décimo de tudo.) (Est 1:7 E fazia-se passar [vinho] para beber em vasos de ouro; e os vasos diferiam um do outro, e havia vinho real em grande quantidade, de acordo com os meios do rei.  5:6 Após um tempo disse o rei a Ester, durante o banquete de vinho: “Qual é o teu pedido? Seja-te concedido! E qual é a tua solicitação? Até a metade do reinado — seja feito!”  7:2 O rei disse então a Ester também no segundo dia durante o banquete de vinho: “Qual é o teu pedido, ó Ester, a rainha? A ti seja dado. E qual é a tua solicitação? Até a metade do reinado — seja feito!”  7 Quanto ao rei, levantou-se no seu furor do banquete de vinho, [indo] ao jardim do palácio; e o próprio Hamã se levantou para fazer um pedido pela sua alma a Ester, a rainha, pois viu que se resolvera o mal contra ele da parte do rei.  8  E o próprio rei retornou do jardim do palácio à casa do banquete de vinho; e Hamã tinha caído sobre o leito em que se achava Ester. Conseqüentemente, o rei disse: “Há de se violar também a rainha, estando eu na casa?” A própria palavra saiu da boca do rei, e eles cobriram a face de Hamã.
) (1Cr 12:39, 40 E continuaram ali com Davi por três dias, comendo e bebendo, pois os seus irmãos tinham feito preparativos para eles.  E também os perto deles, de tão longe quanto Issacar, e Zebulão, e Naftali, traziam comida sobre jumentos, e sobre camelos, e sobre mulos, e sobre gado vacum, comestíveis de farinha, tortas de figos prensados e tortas de passas, e vinho, e azeite, e gado vacum, e ovelhas em grande quantidade, pois havia alegria em Israel ) (Jó 1:13 Ora, veio a ser o dia em que seus filhos e suas filhas comiam e bebiam vinho na casa de seu irmão, o primogênito. 18 Falando ainda este, chegou ainda outro e passou a dizer: “Teus filhos e tuas filhas estavam comendo e bebendo vinho na casa de seu irmão, o primogênito. ). (1Cr 27:27 E sobre os vinhedos estava Simei, o ramatita; e sobre o que havia nos vinhedos para o suprimento de vinho estava Zabdi, o sifmita) (2Cr 11:11 Além disso, reforçou as fortificações e pôs nelas líderes, e suprimentos de alimentos, e azeite, e vinho, ) (Ne 2:1 E sucedeu no mês de nisã, no vigésimo ano de Artaxerxes, o rei, que havia vinho diante dele, e, como de costume, tomei o vinho e o dei ao rei. Mas nunca antes eu tinha estado sombrio diante dele. 5:15 Quanto aos governadores anteriores que vieram antes de mim, fizeram-no pesado ao povo, e tinham tomado deles diariamente quarenta siclos de prata para pão e vinho. Também os próprios ajudantes deles tiranizavam o povo. Quanto a mim, não fiz assim por causa do temor de Deus. 18 Quanto ao que se veio aprontar diariamente, um touro, seis ovelhas seletas e aves, eram aprontados para mim, e uma vez cada dez dias, toda sorte de vinho em abundância. E junto com isto não requeri o pão devido ao governador, porque o serviço estava pesado sobre este povo. )  (Jos 9:4 Portanto eles, de sua própria iniciativa, agiram com astúcia e se proveram de mantimentos, e tomaram sacas estragadas pelo uso para os seus jumentos, e odres de vinho estragados, e rebentados, e amarrados, 13 E estes são os odres de vinho que enchemos quando novos, e eis que rebentaram, e estes nossos mantos e sandálias gastaram-se por causa da jornada muito longa.) (Jz 19:19 E há tanto palha como forragem para os nossos jumentos, e há tanto pão como vinho para mim e para a tua escrava, e para o ajudante com o teu servo. Não há falta de coisa alguma.” ) (Juízes 9:13 A videira, por sua vez, disse-lhes: ‘Deveria eu renunciar ao meu vinho novo que alegra a Deus e os homens e deveria ir para oscilar sobre as árvores?’ ) (Gên. 9:20, 21) (Ecl. 9:7 Vai, come o teu alimento com alegria e bebe o teu vinho com um bom coração, porque o [verdadeiro] Deus já achou prazer nos teus trabalhos. ) (1 Sam. 16:20 Portanto, Jessé tomou um jumento, pão e um odre de vinho, bem como um cabritinho, e enviou-os a Saul pela mão de Davi, seu filho.) (Cân. 2:4 Ele me introduziu na casa de vinho e seu estandarte sobre mim era o amor) ( Dan. 1:5 Além disso, o rei estipulou-lhes uma ração diária das iguarias do rei e do vinho que bebia, sim, para que fossem nutridos por três anos, para que no fim destes pudessem estar de pé perante o rei. 8 Mas, Daniel decidiu no coração não se poluir com as iguarias do rei e com o vinho que bebia. E ele persistiu em solicitar do principal oficial da corte que lhe [permitisse] não se poluir. 16 Portanto, o encarregado continuou a retirar deles as suas iguarias e seu vinho que se bebia e a dar-lhes legumes. ) (2 Crô. 2:8-10 E envia-me do Líbano madeiras de cedro, de junípero e de algum, pois eu mesmo sei muito bem que teus servos são experientes em cortar as árvores do Líbano, (e eis que os meus servos estão juntos com os teus servos,) sim, para me prepararem madeiras em grande quantidade, porque a casa que estou construindo será grande, sim, de modo maravilhoso. 10 E eis que dou deveras trigo aos ajuntadores de lenha, aos cortadores das árvores, como mantimento para os teus servos, vinte mil coros, e vinte mil coros de cevada, e vinte mil batos de vinho, e vinte mil batos de azeite.” 15  E agora, o trigo e a cevada, o azeite e o vinho que meu senhor prometeu, envie-o ele aos seus servos. ) (1 Sam. 25:18 Abigail apressou-se imediatamente e tomou duzentos pães, e duas grandes talhas de vinho, e cinco ovelhas preparadas, e cinco seás de grãos torrados, e cem tortas de passas, e duzentas tortas de figos prensados, e os pôs sobre os jumentos. ) (2 Sam. 16:1 Quando o próprio Davi tinha passado um pouco além do cume, eis que vinha ao seu encontro Ziba, ajudante de Mefibosete, com um par de jumentos selados e sobre eles duzentos pães, e cem tortas de passas, e cem fardos de frutas de verão, e uma grande talha de vinho.  2 O rei disse então a Ziba: “Que significam estas coisas da tua parte?” A isto Ziba disse: “Os jumentos são para os da casa do rei montar neles, e o pão e os fardos de frutas de verão são para os moços comerem, e o vinho é para o cansado no ermo beber.” ) (Nee. 10:37 Também as primícias da nossa massa de farinha, e as nossas contribuições, e os frutos de toda sorte de árvore, vinho novo e azeite devíamos trazer aos sacerdotes, aos refeitórios da casa de nosso Deus, também o décimo [proveniente] de nosso solo, aos levitas, visto que eles, os levitas, são os que recebem um décimo em todas as nossas cidades agrícolas. 39 Pois é aos refeitórios que os filhos de Israel e os filhos dos levitas devem levar a contribuição dos cereais, do vinho novo e do azeite, e é ali que estão os utensílios do santuário, e os sacerdotes que ministram, e os porteiros, e os cantores; e não devemos negligenciar a casa de nosso Deus. 13:5 e passara a fazer para ele um amplo refeitório onde antes se pusera regularmente a oferta de cereais, o olíbano e os utensílios, bem como o décimo dos cereais, do vinho novo e do azeite, que de direito cabe aos levitas, e aos cantores, e aos porteiros, bem como a contribuição para os sacerdotes. 12 E todo o Judá, da sua parte, trouxe o décimo dos cereais, e do vinho novo, e do azeite aos depósitos. ) ( 1 Sam. 1:24 Por conseguinte, assim que o havia desmamado, levou-o consigo para cima, junto com um novilho de três anos e um efa de farinha, e uma grande talha de vinho, e passou a entrar na casa de Jeová em Silo. E o rapazinho estava com ela. 10:3 E de lá tens de passar mais adiante e chegar até a árvore grande de Tabor, e ali terão de vir ao teu encontro três homens subindo até o [verdadeiro] Deus em Betel, um carregando três cabritinhos, e outro carregando três pães redondos, e outro carregando uma grande talha de vinho. ) (Osé. 9:4 Não continuarão a derramar vinho para Jeová. E seus sacrifícios não lhe darão satisfação; são para eles como o pão dos tempos de luto; todos os que o comerem se aviltarão. Porque o seu pão é para a sua própria alma; não entrará na casa de Jeová.) (1 Reis 4:25 E Judá e Israel continuaram a morar em segurança, cada um debaixo da sua própria videira e debaixo da sua própria figueira, desde Dã até Berseba, todos os dias de Salomão) (2 Reis 18:31 Não escuteis a Ezequias; pois assim disse o rei da Assíria: “Fazei uma capitulação a mim e saí a mim, e coma cada um da sua própria videira e cada um da sua própria figueira, e beba cada um a água da sua própria cisterna, ) (Isa. 36:16 Não escuteis a Ezequias, pois assim disse o rei da Assíria: “Fazei uma capitulação a mim e saí a mim, e coma cada um da sua própria videira e cada um da sua própria figueira, e beba cada um a água da sua própria cisterna) (Miq. 4:4 E realmente sentar-se-ão, cada um debaixo da sua videira e debaixo da sua figueira, e não haverá quem [os] faça tremer; porque a própria boca de Jeová dos exércitos falou [isso]. ) (Zac. 3:10 “‘Naquele dia’, é a pronunciação de Jeová dos exércitos, ‘chamareis um ao outro, enquanto debaixo da videira e debaixo da figueira’.” ) (Joel 3:18 “E naquele dia terá de acontecer que os montes gotejarão vinho doce, e os próprios morros manarão leite, e os próprios regos de Judá correrão todos [cheios] de água. E da casa de Jeová procederá um manancial e terá de irrigar o vale da torrente das Acácias ) (Amós 9:13 “‘Eis que vêm dias’, é a pronunciação de Jeová, ‘e o arador realmente alcançará o ceifeiro, e o pisador de uvas, ao carregador de semente; e os montes terão de gotejar vinho doce e os próprios morros achar-se-ão todos derretendo. 14  E eu vou recolher os cativos do meu povo Israel, e eles realmente construirão [as] cidades desoladas e habitarão [nelas], e plantarão vinhedos e beberão o vinho deles, e plantarão jardins e comerão o fruto deles.’ ) (Zac. 9:17 Pois, quão [grande] é a sua bondade e quão [grande] é a sua formosura! O cereal é o que fará os jovens medrar, e o vinho novo, as virgens.” )

Menções benéficas do vinho nas Escrituras Gregas

(João 2:6 Acontece que havia ali seis talhas de pedra, para água, conforme exigidas pelas regras de purificação dos judeus, cada uma capaz de conter duas ou três medidas de líquidos. 7 Jesus disse-lhes: “Enchei com água as talhas.” E encheram-nas até em cima 10 e disse-lhe: “Todo outro homem apresenta primeiro o vinho excelente, e, quando as pessoas ficam inebriadas, o inferior. Tu reservaste o vinho excelente até agora.” ) (Lucas 10:30-34 Em resposta, Jesus disse: “Certo homem descia de Jerusalém para Jericó e caiu entre salteadores, que tanto o despojaram como lhe infligiram golpes, e foram embora, deixando-o semimorto.  Ora, por coincidência, certo sacerdote descia por aquela estrada, mas, quando o viu, passou pelo lado oposto.  Do mesmo modo também um levita, quando, descendo, chegou ao lugar e o viu, passou pelo lado oposto.  Mas, certo samaritano, viajando pela estrada, veio encontrá-lo, e, vendo-o, teve pena.  De modo que se aproximou dele e lhe atou as feridas, derramando nelas azeite e vinho. Depois o pôs no seu próprio animal e o trouxe a uma hospedaria, e tomou conta dele.) (1 Timóteo 5:23 Não bebas mais água, mas usa de um pouco de vinho por causa do teu estômago e dos teus freqüentes casos de doença. ) (Mt 11:19 o Filho do homem veio comendo e bebendo, todavia dizem: ‘Eis um homem comilão e dado a beber vinho, amigo de cobradores de impostos e de pecadores.’ Não obstante, a sabedoria é provada justa pelas suas obras.” ) (Lu 7:34 O Filho do homem veio comendo e bebendo, mas vós dizeis: ‘Eis um homem comilão e dado a beber vinho, amigo de cobradores de impostos e de pecadores)


Maasalama a todos

2 comentários:

OSVALDO JUNIOR disse...

Realmente irmão, obrigado pela dica, vou estudar com maior carinho o que você demonstrou aqui com muita profundidade. Osvaldo

Nasir Al Din disse...

OSVALDO JUNIOR, Obrigado a Vc por comentar, e que esse Humilde blog, meio estranho kkkk, lhe ajude a nunca duvidar das escrituras, e o Credito é de Yehová Elohim, que deu material para pesquisa e umas escrituras que nos possibilitam entende-la corretamente, pois como eu digo TUDO que esta nela foi posto de uma maneira que os Humanos pudessem entender, então agradeça ao Criador. MA'SALAMA